Embaixadores do ‘Next Einstein Forum’ lideram a mudança na percepção da ciência e da tecnologia em África

KIGALI, Ruanda, 3 de dezembro de 2019,-/African Media Agency (AMA)/- O ‘Próximo Fórum Einstein’ (NEF – Next Einstein Forum, em inglês) anuncia hoje o seu novo grupo de Embaixadores, o terceiro grupo de jovens campeões em ciências e tecnologia, em toda a África. Estes embaixadores, um de cada país africano, vão impulsionar o envolvimento público em actividades para a promoção da Educação, Pesquisa e Inovação em Ciência e Tecnologia nos seus países.

O Dr. Youssef Travaly, o vice-presidente da Ciência, Inovação e Parceria do NEF disse: “Esta selecção chega num momento em que estamos a trabalhar para acelerar a diplomacia científica e a colaboração para solucionar os maiores desafios e as maiores mudanças de África e do mundo. Este novo grupo já está a trabalhar para ultrapassar as fronteiras da ciência e tecnologia de modo a que possam trazer soluções para os problemas sociais por via dos novos alcances das suas pesquisas. Aproveitando o momento e a comunidade mais ampla de cientistas do NEF, esperamos influenciar positivamente a mudança da opinião pública, incentivado acções e investimentos. Parabéns a todos os Embaixadores.”

Os embaixadores do NEF são seleccionados através de um processo rigoroso de revisão dos seus feitos a nível académico, das suas habilidades empreendedoras e do histórico de esforços de engajamento público.

Os embaixadores também devem demonstrar paixão pela iniciativa científica de base nos seus países e inspirar a próxima geração de cientistas.

“A nossa ambição é multiplicar o número de jovens-modelo através da construção de uma comunidade forte de cientistas que estão activamente empenhadas nas suas comunidades. Isto vai ajudar na coordenação e acelerar o impacto. Os embaixadores, em particular, ajudam a alcançar os objectivos do NEF para fazer da ciência e tecnologia uma parte central do desenvolvimento local e regional através da organização, nos seus países, da Semana de Ciência em África. Estamos ansiosos para trabalhar com cada um deles”, disse Nathalie Munyampenda, Directora Geral do NEF.

Os Embaixadores do NEF vão representar os seus países no principal encontro de ciência e inovação do NEF, de 10 a 13 de Março em Nairobi, Quénia. E irão interagir com outros membros da comunidade bem como criar ligações com os grandes cientistas e empresários.

Para este grupo, o NEF seleccionou embaixadores de 45 países. O NEF aceitou as candidaturas para Eritreia, Somália, Sudão do Sul, Guiné Equatorial, Namíbia, República Centro Africana, Burundi, Líbia e Moçambique. Os candidatos interessados podem fazer o download da aplicação em www.nef.org/ambassadors.
Saiba mais sobre o NEF Global Gathering 2020 em https://gg2020.nef.org/.

Os Embaixadores NEF 2019-2021

NEF Ambassadors 2019-2021

 

Fadoul Hissein Abba (Chade) combina engenharia eléctrica e empreendedorismo. Actualmente é o gerente da WenakLabs. Ele fundou a HiraTech – uma startup de tele-irrigação, que permite aos agricultores controlar remotamente os sistemas de irrigação nas suas fazendas.

Omar Ibn Abdillah (Comores) é o fundador e CEO do OIA Group. Ele foi seleccionado como Líder de Obama em 2019 e é vice-presidente de ideias da Action África. Ele é um facilitador da Techstars Startup e coach de 100 startups.

Sophia Yusuf Abeid (Tanzânia) é engenheira electrónica e de telecomunicações. Ela co-fundou a Blueprint Innovations e é conhecida pelo seu prémio File Tracking System. Ela foi a premiada mais jovem reconhecida no NEF Africa Week (Semana Africana) 2018, na Tanzânia.

Manara Asad Begira Arbab (Sudão) formou-se na Faculdade de Ciências da Universidade de Khartoum, no Departamento de Zoologia. Ela tornou-se na primeira advogada da juventude no UNICEF no Sudão, e desempenha um papel activo na organização da Semana de Ciências da África do NEF para o Sudão.

Mohamed-Lamine Bamba (Costa do Marfim) é professor-chefe da Happy Coders Academy, uma escola que ensina a crianças a codificação, design 3D e robótica. Ele trabalhou como web developer e director administrativo da Digit’Com.

Abdoulaye Oury Barry (Guiné) depois de um doutoramento na França e um pós-doutoramento na Bélgica, retornou à Guiné para inaugurar um laboratório de pesquisa, pioneiro na Universidade de Conakry. Ele é o presidente fundador da TechnoTransGuinée.

Sakina Benabdelkader (Argélia) é bióloga e líder de projecto. Ela foi homenageada como “The Woman Entrepreneur 2017” e “The Best Idea 2016” em concursos na Argélia. Serviu como embaixadora de fundações que promovem jovens e mulheres nas ciências.

Salma Bougarrani (Marrocos) é PhD em Meio Ambiente e Tratamento de Água pela Faculdade de Ciências da Universidade Mohammed V em Rabat, Marrocos. Vencedora do prémio Excellence in Research, ela administrou o projecto “Mulheres no Campo da Água”, em Pequim, e é co-fundadora da Green WATECH.

Baltazar Cá (Guiné-Bissau) é pesquisador do Instituto Nacional de Saúde Pública da Guiné-Bissau, actualmente está a coordenar o trabalho de campo do projecto MAF-TB. Está a pesquisar a diversidade genética do complexo Mycobacterium tuberculosis circulante na Guiné-Bissau.

Yusuf Chimole (Malawi) começou a receber prémios internacionais logo aos 16 anos. Fundador da Lync Systems e vice-presidente da Robotics Foundation Limited, ele é designer-chefe do Pavilhão do Malawi para o Dubai Expo 2020 e World Expo 2025.

Chioma Chukwu (Nigéria), software developer, é o fundador da STEMteers, em parceria com o Ministério da Educação da Nigéria, que lançou clubes STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharias e Matemática) em mais de 21 escolas, chegando a cerca de 500 alunos, dos quais 50% são estudantes do sexo feminino.

Mamadou Tourad Diallo (Mauritânia), PhD em Ciência da Computação e Telecomunicações, está actualmente a trabalhar na Mauritânia como professor na Universidade de Nouakchott – Al Asriya. Ele é apaixonado por inteligência artificial, redes inteligentes e IoT.

Sicelo Dube (Zimbabwe) defende a educação em STEM como técnico de laboratório sénior da Hellenic Academy. Ele também é fundador da LEC Biotec, co-fundador da Elevante Trust e presidente da Zimbabwe Science Laboratory Technicians Trust.

Shymaa Enany (Egito) é professora associada de Microbiologia na Universidade do Canal de Suez, Egipto. Vencedora de um prémio, ela foi a primeira cientista árabe a aplicar técnicas proteómicas bacterianas para ajudar a revelar bons marcadores para bactérias que se estão a espalhar na comunidade.

Anyse Sofia Fernandes-Pereira (Cabo Verde), é aluna de doutoramento e está a investigar o poder medicinal das plantas para demonstrar a validade científica do uso da medicina tradicional baseada em plantas. Ela espera estabelecer um vínculo entre o conhecimento tradicional e o científico.

Ousia A. Foli-Bebe (Togo) fundou a EcoTecLab para promover a inovação jovem e a educação STEM. Ele co-projectou e construiu o MoLab, um laboratório STEM móvel que promove workshops STEM em escolas e aldeias do Togo.

Ines Gasmi (Tunísia) é PhD em ciências agrícolas com especialização em desertificação, meio ambiente e mudanças climáticas. O seu trabalho foca-se em encontrar soluções para a escassez de água na Tunísia e o impacto directo das mudanças climáticas.

Oliver Jolezya Hasimuna (Zâmbia) é um aquicultor do Ministério das Pescas e Pecuária da Zâmbia. Ele oferece serviços de consultoria e formação em aquicultura e pesca, além de serviços de mentoria de jovens em STEM.

Eric Gabriel Jenn (Libéria) trabalha para melhorar a construção de estradas na Libéria. Como engenheiro geotécnico e de transportes e especialista em políticas de infra-estruturas, ele está entre os 150 bolsistas de mais de 100 países que colaboram com o Joint Research Center da União Europeia em Itália.

Annick Laurence Koussoube (Burkina Faso) é mestrada em comunicação pelo Instituto Africano de Administração (IAM) em Ouagadougou. Ela é especialista em comunicações na Iniciativa Pananetugri para o Bem-Estar da Mulher.

Ntiea Ephraim Letsapo (Lesoto) é um cientista de água e meio ambiente que trabalha no Departamento de Assuntos Hídricos do Lesoto como Chefe da Seção de Direito da Água. Ele está envolvido em várias fases dos projectos de desenvolvimento de recursos hídricos.

Devina Lobine (Maurícias) é actualmente pesquisadora de pós-doutoramento na Universidade das Ilhas Maurícias. Ela está a investigar as plantas medicinais da Mauritânia para controlar a doença de Alzheimer e está activamente engajada na promoção de STEM e bio-inovação entre os jovens.

Mário Lopes (São Tomé e Príncipe) é co-fundador do Tela Digital Media Group e editor do STP Digital. É membro do conselho e consultor político do Conselho Nacional da Juventude de São Tomé e Príncipe e vice-presidente da ONG Galo Canta.

Philippa Ngaju Makobore (Uganda) é uma inovadora premiado que desenha dispositivos médicos acessíveis para contextos de poucos recursos. Ela é a chefe do departamento da divisão de instrumentação no Instituto de Pesquisa Industrial de Uganda.

Elie Mandela (Ruanda) é bacharel em Ciências com Honras em Farmácia pela Universidade de Ruanda. Actualmente, é Associate Program Analyst na Mastercard Foundation, responsável pelo envolvimento dos jovens. Apoiou a Johnson e Johnson Global Public Health para estabelecer uma pesquisa em saúde mental no Ruanda e é o director fundador do Hult Prize Ruanda.

Alda Manuel (Angola) trabalha como Engenheira Eléctrico na Anglobal, uma empresa angolana de energia e telecomunicações. O seu objectivo é capacitar jovens meninas em STEM e preencher a lacuna de género em Angola.

Paulcy Des Merveilles Mboungou (Congo Brazzaville) é o co-fundador e CTO da MALAMU Inc, um serviço que que fornece um sistema de prestação de cuidados de saúde mais eficientes. Anteriormente, no ThoughWorks, onde adquiriu experiência no fornecimento de software usando o Agile, é também co-fundador da Campanha de Compartilhamento de Conhecimento.

Dikabo Mogopodi (Botsuana) é PhD em Química Analítica. Ela entrou recentemente na Universidade da Botsuana, onde trabalha como professora de química analítica. Autora e blogger, está envolvida na defesa da propriedade intelectual em ciência e tecnologia.

Sebay J.B. Momoh (Serra Leoa) é uma engenheira de petróleos com um mestrado (com distinção) em Petro-Tecnologia Ambiental da Coventry University, Inglaterra. Entusiasta de STEM, ela trabalha na Direcção de Petróleo da Serra Leoa.

Gladys Mosomtai (Quénia) é uma apaixonada mentora de jovens meninas em STEM e usuária de tecnologias de observação da Terra. Como bolsista de doutorado no Quênia e na Universidade de KwaZulu-Natal, recebeu em 2018 a bolsa de estudos L’Oréal-UNESCO para Mulheres na Ciência.

Talla Ndiaye (Senegal) está envolvida no crescimento da utilização de Data Intelligence no Senegal. Actualmente trabalha como engenheiro de Big Data na Orange-Sonatel em Dakar. Ele coordena e contribui com Algoritmos Abertos, Flux Vision, Data4Development, Senagro e Walùjiggen.

Abdou Idris Omar (Djibuti) é doutorando em Construção e Energia Climática na Universidade de Djibuti e na Universidade Claude-Bernard em Lyon. Ele está colaborar com as comunidades a adiantar planos de energia solar fora da rede para iluminar o Djibouti.

Justina Adwoa Onumah (Gana) é pesquisadora sénior do Instituto de Pesquisa em Políticas de Ciência e Tecnologia do CSIR-Gana. Como bolsista de doutorada na Universidade de Gana, ela está a trabalhar na implementação de um centro de pesquisa-política-indústria no Gana.

Moussa Hasan Ousseini (Níger) está a finalizar um doutoramento em SVT na Universidade Abdou Moumouni, graduando-se em Zoologia e Fisiologia Aplicada. Auto-intitula-se um ‘Nerd’ das aves, e ganhou o melhor prémio no concurso “Uma tese em 3 minutos” da Semana da Ciência da África de 2018 no Níger.

Beranger Constantin Nsa Oyono (Gabão) é engenheiro de design de sistemas de informação e mestrado em Matemática Aplicada. É o chefe de pesquisa e desenvolvimento de uma agência governamental e auxilia o governo do Gabão na promoção de STEM em jovens.

Beryl Birgitta Payet (Seychelles) é engenheira de comunicações e electrónica do Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação (DICT), nas Seychelles. Ela é membro do SYAH-Seychelles e do Global Shapers-Victoria Hub; duas organizações não-governamentais lideradas por jovens das Seychelles que empreendem projectos comunitários que mudam a vida na região. Ela é uma defensora da educação STEM e apaixonada pelo empoderamento de mulheres e jovens meninas. Ela é uma das Mandela Washington Fellow de Seychelles para 2019.

Randrianavelo Tsiry Nantenaina Rakotondratovo (Madagáscar) trabalha como gestora de projectos no Instituto Pasteur de Madagascar, está envolvida no desenvolvimento da juventude e no envolvimento cívico em STEM através da sua organização “Move up Madagascar”.

Jeshika Ramchund (África do Sul) é uma cientista premiada e engenheira líder da Bosch Projects (Pty) Ltd, África do Sul. Ela foi referida pelo Mail and Guardian em 2018 e nomeada Jovem Engenheira do Sul da África 2019.

Hassan Sillah (Gâmbia) no 11ª ano escolar representou o seu país na 21ª edição da Olimpíada Pan-Africana de Matemática. É gestora de Tecnologias da Informação da SBEC International School, presidente do Robotics Hub Gambia e co-fundadora da startup de software Sakina.

Lwandle Simelane (Eswatini) é uma Oficial Sénior de Ciências do Departamento de Pesquisa, Ciência, Tecnologia e Inovação de Eswatini. Actualmente, é responsável pelo portefólio de colaborações internacionais, mobilização de recursos e ética.

Fadimatou Noutchemo Simo (Camarões) é a fundadora e presidente da Young African Aviation Professional Association e CEO do HEFA Group, a sua própria empresa de consultoria em aviação. Ela ganhou o IATA High Flyer Award 2019 e o Commonwealth Point of Light.

Andebet Gedamu Tamirat (Etiópia) é Professora Assistente de Química na Universidade Metropolitana de Kotebe, Etiópia. Está a conduzir pesquisas na área de baterias recarregáveis de última geração e é responsável pela transferência de tecnologia na KMU.

Vidjinnangni Grégory Thoto (Benin) é assessor de líderes empresariais e apoia startups / PME’s na sua estratégia de comunicação digital. É diretor-gerente do Guerra Tech Hub, que forma jovens licenciados em novos skills em tecnologia digital.

Mohammed Traore (Mali) foi seleccionado como pesquisador em estágio inicial no projecto ForSEAdiscovery, sobre o qual fez um doutorado na Espanha. Apaixonado por tudo o que é científico, ele é actualmente professor assistente na Escola Nacional de Engenharia de Bamako.

Josephine Ndeze Uwase (RDC) foi coroada Miss Geek Africa 2019, graças ao seu projecto que visa reduzir a taxa de mortalidade materna na zona rural do Congo usando tecnologias móveis. Ela é estudante de ciência da computação em Goma, RDC.

Faça download dos perfis completos aqui.

Distribuído pela African Media Agency (AMA) em nome do The Next Einstein Forum.

Sobre o Next Einstein Forum
Sobre o Próximo Fórum Einstein (NEF – Next Einstein Forum)
Lançado em 2013 pelo Instituto Africano de Ciências Matemáticas (AIMS), o trabalho do Next Einstein Forum (NEF) é moldado pela nossa crença de que o próximo Einstein será africano! O Next Einstein Forum está a trabalhar para tornar o NEF um hub global para programas científicos de implementação que ligam ciência, sociedade e política em África e no resto do mundo – com o objetivo de alavancar a ciência para o desenvolvimento humano de forma global. O NEF acredita que as contribuições de África para a comunidade científica global são críticas para o progresso da globalização. No centro dos nossos esforços na NEF, estão os jovens africanos, a força motriz do renascimento científico de África.

O NEF tem vindo a organizar encontros globais bienais, a maior conferência de ciência e inovação de África. Longe de ser um fórum científico comum, o NEF Global Gatherings posiciona a ciência no centro dos esforços de desenvolvimento global. Na presença de líderes políticos e da indústria, e com um forte foco em jovens e mulheres, as vozes dos líderes científicos mundiais têm a oportunidade de serem ouvidas e de ter um grande impacto no futuro científico do continente africano. O NEF Global Gathering 2020 será realizado de 10 a 13 de Março de 2020 em Nairobi, no Quénia.

Além disso, o NEF organiza, anualmente, a Semana Científica de Africa em mais de 30 países. A edição deste ano será realizada em 35 países, de Setembro a Dezembro de 2019. E para tornar a ciência relevante para todos, a NEF publica a revista Scientific African Magazine.

Mais informação em nef.org Twitter: @NextEinsteinFor Facebook: NextEinsteinForum 
Media: medium.com/next-einstein-forum  

Comunicação social
Kevin Eze
Director Comunicações e Envolvimento do Público NEF
E: keze@nef.org

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUpon
Back to news listing