Acelerar o Controle e a Eliminação de Doenças Tropicais Negligenciadas em África

Dr. Matshidiso Rebecca Moeti, Diretora do Escritorio Regional da OMS para Africa

Dr. Matshidiso Rebecca Moeti, Diretora do Escritorio Regional da OMS para Africa

GENEBRA, Suiça, 20 de abril 2017, -/African Media Agency/- As Doenças Tropicais Negligenciadas (DTN) são doenças infecciosas evitáveis que colocam em risco cerca de 1,5 mil milhões de pessoas em 149 países, incluindo 500 milhões de crianças. A África é responsável por 40% da carga global de DTN, sendo que os 47 países africanos são todos endémicos em pelo menos uma delas. Estas doenças perigosas e destrutivas causam sintomas físicos e mentais crónicos e debilitantes; desfigurações grave e deficiências; e têm um impacto negativo na esperança de vida, na educação e nas oportunidades económicas. Afectam de forma desproporcionada as populações mais vulneráveis e marginalizadas das comunidades mais pobres e remotas de África e do mundo, as que têm muito poucos meios para pagar tratamentos e um acesso limitado aos serviços de saúde.

Por que razão é tão importante combater as DTN no contexto actual? Porque estas doenças foram negligenciadas durante muito tempo e têm devastado muitas das nossas comunidades. O impacto das DTN vai muito para além da saúde das pessoas. As DTN ameaçam o bem-estar económico e os meios de subsistência das pessoas que as contraem, afundando ainda mais as vítimas na pobreza, e fazendo com que seja para elas impossível reverter o ciclo. Mais importante ainda, devido à colaboração mundial sem precedentes e à filantropia, nos últimos cinco anos o número de pessoas em risco de DTN caiu 20 por cento. O mundo está a unir-se para alcançar um conjunto comum de metas, mobilizando recursos financeiros fundamentais, doando medicamentos essenciais e intensificando a liderança técnica e financeira coordenada. Tudo começou há cinco anos, quando líderes governamentais, doadores, empresas farmacêuticas e representantes de importantes organizações mundiais de saúde e desenvolvimento se comprometeram em unir os seus esforços para combater estas doenças. Estes parceiros assinaram a Declaração de Londres, na qual garantem o seu apoio às metas do Roteiro da OMS para eliminar ou controlar 10 DTN até 2020.

Chegou a hora de derrotar as DTN. A janela de oportunidade para atingir os nossos objectivos para 2020 está à nossa frente, e não podemos deixá-la fechar-se.

As empresas farmacêuticas doaram os medicamentos necessários para controlar e eliminar 10 DTN, o que representa mais de 17,8 mil milhões de dólares americanos em doações de medicamentos. Desde 2012, foram doados mais de 7 mil milhões de tratamentos. Os líderes africanos da saúde pública responderam proporcionalmente. Num movimento organizativo sem precedentes, a OMS/AFRO criou o Projecto Especial Alargado para a Eliminação de Doenças Tropicais Negligenciadas (ESPEN), para apoiar os esforços dos países africanos em atingir os seus objectivos de 2020. O ESPEN foi projectado para unir as nações Africanas e toda a comunidade internacional DTN e vencer estas DTN, através do fornecimento coordenado de apoio técnico para terapia medicamentosa preventiva em países endémicos de África. Está a fazer crescer a consciencialização sobre as DTN, advogando o aumento do financiamento e um empenho político mais forte, e a impulsionar as políticas e as intervenções que ajudam a melhorar o controlo e a eliminação das DTN. Mais importante ainda, através do ESPEN, a OMS/AFRO coloca o poder nas mãos dos países Africanos e dos seus programas nacionais, fornecendo o aconselhamento técnico e o apoio à capacitação de que precisam. O progresso não seria possível sem o empenho desses países endémicos e dos seus trabalhadores de saúde de primeira linha, que asseguram que os tratamentos doados chegam às pessoas que deles necessitam.

Em Genebra, esta semana, os líderes globais estão reunidos para celebrar o progresso alcançado em direcção às metas globais, e definir um caminho claro para os objectivos 2020 e além dessa data. Acreditamos que, com maior consciencialização, maior financiamento dos doadores actuais e novos, e a cooperação e vontade política de parceiros nacionais e internacionais dedicados e empenhados, o nosso objectivo de eliminar e controlar estas DTN será alcançado. Com bilhões de vidas em risco e com comunidades e nações inteiras lutando contra o peso destas doenças, é hora de tomar medidas focadas e determinadas. Estamos confiantes de que, até 2020, o termo Doenças Tropicais Negligenciadas será um termo impróprio, e teremos alcançado o tipo de progresso de que as populações mais afectadas precisam, e que merecem.

Distribuído pela African Media Agency (AMA) em nome do escritório regional da Organização Mundial da Saúde para África

A Dr. Matshidiso Rebecca Moeti é a Directora do Escritório Regional da OMS para a África.

O Projecto Especial Alargado para a Eliminação das Doenças Tropicais Negligenciadas (ESPEN) disponibiliza aos países africanos assistência técnica e instrumentos de captação de recursos para acelerar o controlo e a eliminação das cinco Doenças Tropicais Negligenciadas receptivas à Terapia Medicamentosa Preventiva (PC-DTN): Oncocercose, Filariose Linfática, Esquistossomose , Helmintos Transmissíveis pelo Solo e Tracoma. O ESPEN é um projecto de cinco anos albergado pelo Escritório Regional da OMS para a África (OMS AFRO) e é inspirado pelo Roteiro 2020 sobre DTN da Organização Mundial da Saúde.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on StumbleUpon
Back to news listing